Livro ::: Saga Vol.1. de Brian K. Vaughan

Okay. Vamos falar sobre uma graphic novel que em cerca de 140 páginas consegue uma densidade e maturidade invejáveis a muitos romances.

saga

Saga – Vol. 1 – é o primeiro de cinco volumes publicados até à data que retratam um universo futurista e espacial onde as raças do planeta Landfall e do seu satélite lunar Wreath têm vindo a arrastar vários planetas para uma guerra infindável. Neste cenário, é-nos apresentado o casal; Alana, uma Landfallian, conhecidos pelas suas asas pequenas e Marko, um Wreathiano, humanóide com cornos que fazem lembrar o tronco de um minotauro, durante o parto da sua recém-nascida Hazel.

Claro está que estes “Romeu e Julieta” vão deparar-se com um sem número de problemas por viverem um amor quase que proibido e, ainda para mais, por terem cruzado, através da filha Hazel, duas raças tão antitéticas. É com esta premissa que acompanhamos a fuga do casal ao longo deste primeiro volume.

Os desenhos e as descrições culturais das personagens são fantásticos. Em poucas páginas, absorvemos uma densidade narrativa fortíssima e, curiosamente, muito humana. Os sentimentos e ligações afectivas são muito humanóides mas não provocam estranheza, nem nos retiram de contexto durante a leitura. Mas o traço, a escolha e combinações de várias cores, conferem uma energia específica a cada personagem. E esse cuidado no desenho e cor contribuí para o enriquecimento narrativo.

Esta não é uma graphic novel para crianças. Descreve situações e histórias difíceis, umas até bem terríveis, e consegue afirmar-se plena de maturidade, apesar de se desenrolar numa universo de ficção especulativa. Houve momentos na leitura em que quase esquecia que estava no domínio da fantasia. Há humanidade nas personagens, mas o q.b. para nos fazer apaixonar pelo feitio. Mal posso esperar para ler o segundo volume!

 

 

Anúncios