Produtividade no dia-a-dia

Já aqui falei de produtividade pessoal, da organização mental que ela envolve e de pequenas maroscas que podemos adoptar para melhoria do nosso desempenho nas tarefas do dia-a-dia, sejam elas pessoais, sociais ou profissionais.

Num dos episódios do podcast Productivity Show, registei uma ideia que pus em prática no mês de Fevereiro e que, espero eu, me acompanhe durante alguns anos porque é extremamente útil.

A aplicação para smartphone (que também existe para tablets e PC’s) Evernote – que permite criar e organizar conjuntos de notas e anotações – criei um template chamado diário com a seguinte listagem:

Escreveste?
Qual foi a melhor sensação do dia?
Já li alguma coisa hoje?
Meditei?  Tempo:
Acordar:
Deitar:
Tarefa:
Tarefa:
Tarefa:
Tarefa:
Pequeno almoço 
Lanche manhã 
Almoço
Lanche tarde
Jantar

Com estes tópicos, fui reflectindo nas três perguntas iniciais todos os dias, registei se meditei e durante quanto tempo, anotei as minhas tarefas para o dia e as refeições que fiz. A cada dia, duplicava o template, nomeava-o com o dia em questão e fiquei com um diário de meditação, tarefas e refeições muito funcional e útil. Por exemplo, andei com algumas enxaquecas no arranque de Fevereiro, mas só depois do pequeno-almoço e durante a manhã. No dias em que tive a dor de cabeça, consegui reparar que andava a beber chá preto nesses dias. Cortei com o chá preto no dias a seguir e fiquei a saber que ele é um catalisador das minhas enxaquecas. Também consegui ter uma melhor noção da frequência e utilidade da minha prática de meditação. Nos dias em que não meditei foram aqueles que correram pior, mais desorganizados e em que a minha capacidade de resposta para as adversidades estava perto do zero. Uma das melhores maneiras de nos conhecermos, compreendo agora, é registarmos as nossas acções – já rotinadas – para irmos percebendo e tendo consciência da frequência com que as fazemos e as suas consequências e implicações. Experimentem utilizar este método durante uma semana e quase de certeza que irão sentir diferença. Ou pelo menos, uma maior consciência dos dias. A mim ajudou. A organizar a cabeça, a casa e o meu dia-a-dia.

Março ::: Balanço de hábitos

O mês de Março já cá está e com ele aproveito para fazer uma análise das coisas que tenho conseguido.

  • Escrever. Tenho escrito regularmente aqui no blog, bem como tenho aproveitado algumas manhãs para escrever cartas (ainda estou à espera da resposta do L. ) ou simplesmente escrever sobre o que me apetece nos meus cadernos.
  • Prática de yoga. Ainda não consegui praticar a sequência da saudação ao sol numa base diária e confesso que a fiz não mais que meia dúzia de vezes em casa. Mas tenho ido religiosamente às aulas de yoga duas vezes por semana.
  • Leitura. Nesta minha senda pelo yoga tenho tido a sorte de encontrar vários livros interessantes sobre o tema. A Joana partilhou comigo alguns títulos muito úteis e um deles até já o estava a ler (emprestado por um amigo)!
  • Controlo de Despesas. No mês de Fevereiro andei a registar todas as minhas despesas diárias para poder ter uma noção maior de onde posso poupar. O resultado? Uma maior consciência dos gastos e uma poupança como nunca vi! Às vezes basta termos noção do que andamos a gastar para corrigirmos certos hábitos e rotinas financeiras que podem ser más para a carteira.

Também me propus algumas resoluções que vi falharem no mês de Março

  • Prática diária do Surya Namaskar.
  • Começar a correr

Para além destes, falhei noutros aspectos. As minhas ementas semanais foram sendo esquecidas nas últimas semanas e nem todos os dias meditei. Como escrevi aqui, há semanas que simplesmente não nos correm bem; só temos é que ter consciência de quando acontece e tentar lidar com a situação da melhor maneira possível.