Consciência Plena no dia-a-dia

Li um excerto fascinante no blog Não Pensar em Nada sobre apreciação do acto de mastigar. É uma forma de consciência do nosso corpo e respectivos processos que fazemos todos os dias, quase sempre em piloto automático.

A consciência dos meus actos é coisa rara no meu dia-a-dia. São raros os momentos em que me lembro de saborear a acção de quando como, quando lavo as mãos, quando conduzo, quando preparo um chá. Não se trata de prestar atenção ao momento, mas sim de o saborear. E quando o saboreio, a existência das coisas faz sentido. Como se entendesse o propósito da água a escaldar a envolver um pacote de chá, de sentir o volante nas minhas mãos ou a comida a ser mastigada e sentir cada um dos diferentes sabores. Tentar aplicar isto a todos os momentos da nossa vida é, a meu ver, meio caminho andado para a felicidade.

Falar é fácil. Sou imperfeito, como todos. Tenho ímpetos que não controlo, teimosias que desconheço, mau feitio quase bipolar. O que significa que muitas vezes não consigo racionalizar – a tempo – antes de agir. Nisto a meditação, o yoga e a sua filosofia, contribuem para eu ter mais consciência da minha mente. De modo a pensar nas situações, nas sensações adjacentes e reflectir antes de agir. Mas ter consciência plena todos os dias no maior número de acções é uma meta. Conhece-te a ti mesmo, certo?

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s