Meditação em Portugal

Adoptei há alguns meses a prática da meditação todas (quase!) as manhãs.

Consegui criar este hábito saudável e inseri-lo com relativa facilidade na minha rotina matinal – depois de acordar, abro os estores, vou à casa de banho passar a cara por água, e volto para o quarto, sento-me e medito cerca de 20 minutos. Foco-me na minha respiração, nas inspirações e expirações, e afasto calmamente os pensamentos que, inevitavelmente, assolam a mente. E estes minutos em que estou realmente presente, a viver o presente, acalmam-me a mente e o espírito para o resto do dia. Mas não foi assim desde o início!

Um colega meu do trabalho medita diariamente – entre outras práticas orientais – há mais de um ano. Por falta de alternativa, acabou por se tornar numa espécie de mentor. Eu vou partilhando as minhas evoluções e experiências com o processo meditativo e, através das nossas conversas, vamos tendo noção da convergência dos nossos caminhos. Por exemplo, para mim foi importante perceber que não devemos rejeitar os nossos pensamentos, mas sim ter consciência deles, e afastá-los durante o momento da meditação. Este conceito foi passado através de uma metáfora que realmente me ajudou muito: os pensamentos são como balões cheio de ar e às vezes é preciso dar-lhes uns toques para que se afastem, sem rebentar é claro.

Sei que ainda tenho muito para aprender e que estou longe de dominar a arte da meditação. Primeiro tive que criar o hábito de parar alguns minutos para simplesmente me sentar e não pensar em nada. Parece um objectivo simples, mas com o stress dos dias de hoje, pode tornar-se uma tarefa hercúlea. Criada a rotina, fui tentando compreender e saborear melhor o fenómeno. Sei que pratico a meditação mindfulness da tradição budista zen. Existem outras formas de meditação, outras escolas de acção e pensamento, mas sinto que acabam por ser apenas outros veículos para o mesmo destino. Estou confortável com este tipo de meditação. Tenho encontrado na internet muitos outros praticantes que dedicam o seu tempo a partilhar técnicas, em vídeos e ficheiros de áudio com meditações guiadas, que vieram a provar ser bastante úteis na minha evolução.

Existe em Portugal a Sociedade Portuguesa de Meditação e Bem-Estar, uma óptima fonte de informação para principiantes. Descobri-os online quando andava a tentar arranjar meditações guiadas em português de Portugal (no youtube é muito fácil encontrar as versões de português do Brasil, mas nunca senti que fossem muito fidedignos…) e revelaram ser uma boa surpresa! Organizam cursos, retiros e formações interessantes durante o ano, algumas das quais já suscitaram o meu interesse mais do que uma vez. Estou bastante tentado a experimentar, mas antes de participar num retiro de fim de semana (que para mim acaba por ser bastante dispendioso) queria só ter algumas aulas de introdução à meditação – quando e se as tiver, partilharei a informação convosco!

Num dos próximos posts falo-vos de algumas meditações guiadas de uma norte-americana que torna o processo de meditação em algo bastante simples e acessível, ideal para principiantes.

Ementa da Semana de 22 a 26 de Dezembro 2014

A ementa da semana é uma ferramenta potente para se poupar cá em casa. Organizamos as refeições da semana que se avizinha e compramos apenas os ingredientes que vamos precisar. Desta forma evitam-se compras supérfluas.

Ora, para esta semana natalícia vou só fazer o planeamento para alguns dias visto que as festas vão preencher algumas refeições.

Segunda-feira 22 :::  Risotto de Cogumelos

Terça-feira 23 ::: Massa com seitã, pimentos e frutos secos

Sexta-Feira 26 ::: Falaffel e Mix de Vegetais

Agora é só ir comprar as coisas que preciso e já está! A ver se partilho estas receitas aqui no blog durante a semana. E aqui está mais uma ajuda de custo para a viagem de 2015, sinto que estou no bom caminho.

Alimentação Consciente

Os ingredientes – e respectiva nutrição – passaram-me ao lado a vida toda.

Tirando algumas noções do ensino básico, e também heranças culturais e sócio-familiares, nunca investiguei nem me interessei pela minha nutrição. Sempre comi terrivelmente.

Hoje em dia tenho muito mais noção e cuidado com o que como. Mais verdes e frutas, mais legumes, cereais inteiros, menos leite, menos carne. No fundo, até é simples. E, a curto prazo até, gostava de adoptar uma dieta totalmente vegetariana.

Numa das minhas aventuras cibernéticas dei de cara com dois blogs muito interessantes que queria partilhar convosco:

Junkfoodunmasked – é um blog que ajuda a compreender melhor a composição de certos alimentos que pretendem ser coisas que, quase todas as vezes, não são.

Master Músculos – receitas e dicas para desportistas. Óptimas receitas de barras de energia caseiras, conselhos de alimentação pré e pós treino, dietas equilibradas e guloseimas saudáveis é que se pode encontrar!

2014 ::: Sucessos & Falhanços

2014 foi um ano cheio de mudanças para mim! Comecei um relacionamento com uma pessoa espectacular, mudei-me de apartamento e voltei a aproximar-me da questão Zen.

Achei por bem listar os meus sucessos e falhanços do ano que está mesmo a terminar de modo a ter uma melhor ideia das coisas que consegui cumprir, ou não, para comigo mesmo. Depois quero pensar sobre esta lista e preparar uma lista de resoluções para 2015.

SUCESSOS

  • Comecei a meditar. Quando a minha mãe faleceu em 2007, uma das minhas primeiras reacções foi entrar numa espécie de viagem de descoberta espiritual e comecei a ler textos sobre religiões (as três grandes do mundo ocidental) e espiritualidade. Acabei por me interessar pelas questões budistas e andei a ler livros do Dailai Llama, Osho e outros do género. Foi nesta altura que desenvolvi um interesse pela meditação. Tentei por em prática, mas sempre senti que era demasiado desconcentrado. Que estaria demasiado ocidentalizado. Porém, a chegada de um novo colega ao meu local trabalho veio mudar muitas coisas. Praticante de meditação há já um ano, comecei por lhe colocar algumas perguntas e ele encaminhou-me para o “Spirit Of Zen” do Allan Watts. O Zazen, ou a meditação de atenção plena (mindfulness) fez-me quebrar alguns tabus e comecei em Setembro a sentar-me 5 minutos por dia a tentar limpar a minha mente de qualquer pensamento. Depois, comecei a seguir meditações guiadas e. três meses depois, estou a conseguir sentar-me diariamente 20 minutos e ter esse tempo de qualidade só para mim. Sem dúvida, um dos meus grandes sucessos deste ano!
  • Mudei o meu regime alimentar. Sempre comi porcarias. O exemplo dos meus pais não foi seguramente o melhor, onde uma alimentação rica em hidratos e proteína fez-me quase não comer vegetais durante duas décadas(!!!). Basicamente eram pratos principais sem salada, fruta raramente e muitas bolachas e guloseimas nos intervalos. Decidi a partir de Agosto começar a ter atenção ao que como, pela minha saúde e pelo meu bem estar pessoal. A primeira coisa que fiz foi eliminar a porcaria da minha alimentação. A minha dispensa deixou de ter: bolachas e derivados, chocolates, refrigerantes, imensas garrafas de vinho, compotas, etc. E passei a substituir tudo isto por: chás, infusões, fruta, vegetais, iogurtes, frutos secos, sementes de vários tipos, mel, etc. Para além do conteúdo, mudei também a frequência da minha alimentação. De duas em duas horas, estou a comer qualquer coisa e deixei de sentir aquelas fomes assustadoras que me faziam desejar porcarias e comer em quantidades alarves. Em dois meses perdi 6 Kg. Quero manter-me longe das porcarias e refinar cada vez mais o meu regime alimentar. Por exemplo, a seguir ao Natal quero começar a comer cada vez menos carne. Fica para 2015.
  • Voltei a fazer exercício. Apesar de não ser todos os dias, voltei a praticar desporto – kickboxe. Apesar de ter vomitado e quase desmaiado no primeiro treino, quis continuar. Três vezes por semana vou ao meu ginásio e faço um treino de duas horas intensivas de kickboxe. Há todo um cuidado na preparação física, na resistência e na técnica.
  • Voltei a tentar criar um hábito de escrita. Sou um apaixonado por livros, textos e quase tudo o que tenha a haver com literatura. E adoro escrever. Mas infelizmente tenho descurado totalmente esse hábito, apesar de ter sempre a mente a fervilhar com ideias para por em prática. Aproveitei a criação deste blog juntamente com o hábito de acordar ainda mais cedo para criar uma rotina de escrita de manhã. Claro que tenho aproveitado os momentos mortos no trabalho ou em casa para divagar mas tem sido a rotina matinal que me tem permitido escrevinhar sem stress. Ainda não está enraizado e às vezes o sono não me permite funcionar a 100% no período da manhã. Mas a prática leva à perfeição, certo?
  • Comecei uma relação com uma das pessoas mais fantásticas que conheci na minha vida. Já há muito tempo que tinha perdido a esperança de encontrar uma pessoa que me fascinasse, mas este ano saiu-me a sorte grande. Quero cuidar desta relação e vê-la florir com cada ano que passa.
  • Mudei de casa. Partilhava um apartamento com duas amigas e uma delas seguiu o seu rumo e encontrou um sítio catita e baratinho para viver. Assim, a renda tornou-se incomportável e eu e a minha amiga decidimos procurar uma casa mais pequena. Foi todo um processo precipitado e acelerada por várias razões mas acabámos por conseguir. O novo apartamento não é de todo confortável e tem muitos defeitos, mas é um tecto e os obstáculos são contornáveis.

São estes os meus sucessos de 2014. As coisas que realizei que fizeram sentir-me bem comigo.

FALHANÇOS

  • Não deixei de fumar. É um desejo que já me acompanha há algum tempo. A minha desculpa é que tenho estado muito ajuizado nos outros campos e que as mudanças não devem ser todas feitas de uma vez. Mas em 2015 sei que vai ser o ano da mudança.
  • Não escrevi. Mais um ano que passou em que eu não escrevi nem uma linha de ficção ou poesia. A minha procrastinação aliada aos afazeres domésticos e profissionais são terríveis inimigos de tempo e cabeça para a escrita. Mas também sei que às vezes basta arrancar com a primeira linha e tudo flui, mesmo que no início não nos apeteça nada.
  • Não consegui juntar dinheiro e fazer um pé de meia. Com a mudança e a compra de alguns artigos essenciais para o apartamento novo, acabei por não conseguir juntar dinheiro. Continuo sem pé de meia e esta será uma resolução a mudar para 2015.

Reparei que nesta listagem de fracassos a palavra “não” – com toda a sua negatividade – imperou. Quero ver se para o ano consigo escrever a mesma lista, mas com menos fracassos.